• Newsletter
  • Login

PODER DA BOA DIGESTÃO: CUIDE DO INTESTINO IRRITÁVEL COM A DIETA CERTA

quarta-feira, 23 agosto 2017

Especialista explica como uma simples dieta ou intervenções suplementares podem melhorar o quadro de desordem funcional do intestino

Também chamada de Cólon Espástico, a Síndrome do Intestino Irritável (SII) não se trata de uma doença, mas de uma desordem funcional do intestino. Os sintomas incluem dor abdominal, inchaço, diarreia e constipação. Algumas pessoas podem administrar os sintomas com o controle de dieta, estilo de vida e estresse, enquanto outras precisam de medicação e terapia.

Para tratar a condição, as opções de medicamentos oferecidos ainda são consideradas limitadas e as prescrições mais comuns incluem a ministração de laxantes, fibras e ingestão de água em abundância. Para manter a síndrome estável, o médico Theo Webert explica como simples hábitos de uma boa dieta e escolhas saudáveis de refeições podem ser uma simples solução auxiliando o pleno funcionamento do sistema digestivo.

“O bom funcionamento do pâncreas pode ser comprometido até mesmo por fatores externos como o estresse. Estudos já indicam que as mudanças de humor podem impactar negativamente o nosso corpo na produção de enzimas”, explica o médico especialista em nutrologia, saúde e qualidade de vida. Em casos de deficiência de produção, sob orientação médica, enzimas digestivas podem ser tomadas ligeiramente antes ou no início das refeições para apoiar a digestão.

Solução que começa no prato

Apoiar a digestão com ervas amargas, além das enzimas digestivas acima mencionadas, pode proporcionar um impulso positivo para a boa digestão e o controle dos sintomas da SII. Isso acontece pois após ingerir alimentos amargos, o organismo ativa as papilas gustativas –responsáveis por estimular diretamente a produção de enzimas e simultaneamente o fluxo biliar.

Entre as ervas amargas estão a genciana, dente de leão, alcachofra e até camomila. “Mantendo uma rotina com dieta balanceada, ingestão de fibras adequadas, água e nutrientes –  incluindo gorduras boas – é possível ter uma função digestiva eficaz”, ressalta Theo. Vale lembrar que beber água é extremamente importante. Consumir uma boa quantidade do líquido fora das refeições pode auxiliar a digestão.

O modo de comer também influencia direto em uma boa digestão. Ingerir refeições rapidamente sem a mastigação adequada, gera um efeito negativo organismo, já que o corpo precisa de um descanso de digestão. “Muitas pessoas provavelmente almoçam na mesa de trabalho, ou em atividades feitas no período da noite, ficando com a sensação de peso intestinal, comumente seguido por dor abdominal”, avalia o médico.

Selecionar bem os alimentos que vão diariamente para o prato é fundamental, mas é preciso também dar ao corpo o tempo necessário para a digestão. Para isso, a orientação do especialista é sempre manter um tempo para realizar tranquilamente as refeições, sem pressa, realizando a mastigação correta, capaz de transformar a a digestão em um processo mais rápido e saudável.

Deixe um Comentário